Thursday, April 16, 2009

Inválida

Te vi ali, cega
sangrando os meus olhos
salgando a minha carne
ardendo em minha alma

Tomando-me aos goles
como se cada gemido
brotasse embebido
em uma saliva morna

Mordendo minhas dobras
dobrando meus urros
nadando em sussuros
me deixando inválida

Pálida e descompassada
pulsando em soluços
agarrando-me os pulsos
invadindo-me em chamas

Inundando minha cama
meu cabelo, minhas costas
e afogando quase louca
minha boca sem respostas

5 comments:

Liliane said...

muiiito bom! Quase um Pietro Gregório de Leal Matos! Encantador! Parabéns!

Anaeli Bettarello said...

pronto, título perfeito. INVÁLIDA.
exato.

Ângelo said...

Rapaz, BALA. Muito bala. Essa vale musicar ein?

Grande abraço

Camila Lemos said...

Puxa,preto!
Que negócio bonito...

Valei-me Deus!

Coisa boa na vida,é não se ter respostas.

camila said...

perfeito.

preciso ir no boomerang um dia desses.

[e amei a visita!]